segunda-feira, 8 de junho de 2009

Recomeço


Recomeço


Foi a mágoa sem fim de te perder

Foi a dor como única razão

Foi tanto ainda querer-te sem querer

E a raiva no lugar do coração

Foi o passado morto na lembrança

E o presente ausente de sentido

De tanto desesperar fazer da esperança

Saudade do futuro não cumprido

Não sei de que me lembro quando esqueço

Agora que recuso o que perdi

Das cinzas do que fomos recomeço

E nunca estive tão perto de ti


Manuela de Freitas

2 comentários:

Alda Antunes Ferreira disse...

Olá amiga Madalena
foi com alegre surpresa que encontrei o teu blog aqui no blogspot.
Nao podia passar sem deixar-te um miminho...
retirei-o do livro DESVENTURA DO SENTIDO de ANTÒNIO TEIXEIRA E CASTRO

...Deixa os retratos
As figuras indefesas
Espalha sobre os espelhos a nitidez dos lírios silvestres
Necessário será o silêncio pelos bosques incendiados...

Adorei te encontrar e deixo um grande abraço
Alda

J. Antero disse...

Muito belas poesias aqui tens.
É um prazer poder ler-te

Antero